DJ Lucrécio lança o EP “MACONHA OU ELETROCHOQUE”

DJ e produtor conta que começou a frequentar a cena noturna ainda adolescente

SENTADO é o codinome do DJ e produtor musical Lucrécio Arrais, que em 2020 completa 10 anos de carreira. Prodígio nas picapes desde a adolescência, o dee-jay que sempre brincou de ser produtor agora mostra que a cena techno de Teresina floresce, firmando o movimento da música eletrônica regional.

Inspirado em festivais e saudosismos teresinenses, como antigas festas de música eletrônica da capital, SENTADO lançou seu primeiro EP em 2019, de nome “PANTHEON”, com capa produzida à beira do Rio Poti, tomado por aguapés devido à poluição. Agora, inspirado pela pandemia da covid-19, o produtor divulga mais um trabalho, o intitulado “MACONHA OU ELETROCHOQUE”.

Em “MACONHA OU ELETROCHOQUE”, SENTADO critica o modelo de saúde mental do Brasil que proíbe a cannabis mas adota eletrochoques em tratamentos manicomiais, como em decreto editado pelo Governo Federal no ano passado. “Ao mesmo tempo que países como o Líbano fogem da crise da covid-19 legalizando e sobretaxando a cannabis ou seus subprodutos, o Brasil anda para trás em todas as maneiras. Enquanto isso os jovens são vítimas de eletrochoques em manicômios, sem possibilidade de ressocialização”, explica o DJ.

O EP abre com um manifesto, que segue três faixas mais pesadas, com elementos de techno, acid e tribal house. A última faixa, “Dolinha de Ouro”, é um reggae. “Foge totalmente do que tenho costume de produzir. Foi um desafio para mim. É uma inspiração que vem do Laser Som, um coletivo do Nordeste que respeito muito pelo legado que atravessa gerações”, revela.

No ano que completa 10 anos de carreira como DJ, “MACONHA OU ELETROCHOQUE” está disponível no SoundCloud e em breve em todas as plataformas pelo selo QUARTO DIMENSÕES. “Comecei tocando em boates calouradas e boates alternativas. Mas aos 12 para 14 anos eu já pulava o muro da antiga TEMPLUM PANTEON para as festas de música eletrônica. Então acho que comecei a ver essa cena acontecer desde muito cedo, o que me deu bagagem para tudo que já fiz e produzi”, finaliza.

“MACONHA OU ELETROCHOQUE”

“MACONHA OU ELETROCHOQUE” é um grito de insatisfação com a política brasileira que morre de atrasos quando comparada a outras democracias. Enquanto a maior parte dos países desenvolvidos legalizam a cannabis ou seus subprodutos, o Brasil continua encarcerando a juventude negra por causa de uma dolinha de maconha. O Líbano, um país bem mais conservador que o Brasil, recentemente legalizou a maconha e os impostos aumentaram, contrariando a crise provocada pela covid-19. Enquanto isso o Brasil amarga o atraso sucateando, inclusive, a saúde mental. Que país proíbe a maconha, droga centenas de vezes menos lesiva que o álcool, mas edita protocolos de uso de eletrochoque em manicômios? Esse é o país de muitos atrasos, o Brasil. Por outro lado, o underground brasileiro urge com soluções e propostas para um mundo melhor.

Biografia

Nascido em 1º de agosto de 1992, Lucrécio Arrais criou SENTADO sem perceber. Sempre em busca de ganhar o próprio dinheiro, começou a carreira ainda criança, tocando em festas de aniversário populares com uma controladora VESTAX que havia ganho do seu avô. Sempre criando mashups de músicas conhecidas, teve destaque nos anos 2000 com muitas visualizações na internet.

No entanto, ao perceber que precisaria criar sua própria música, Lucrécio buscou softwares e dispositivos que pudessem auxiliá-lo na busca de sons criavam na própria cabeça. Gravando talheres batendo, cigarras, isqueiros e grunidos, o artista fez uma coletânea de sons “lapidados” para criar a atmosfera dos seus primeiros trabalhos.

Ainda adolescente, pulava o muro de festas de música eletrônica como raves, boates e o que fosse possível, por não ter idade suficiente para frequentar tais ambientes. Somente aos 18 anos subiu no palco de uma boate, a já extinta SUPER 8, em 2010. Depois enveredou para o ramo das boates alternativas, onde realizou várias apresentações e conquistou boa parte do público que lhe acompanha até hoje.

SENTADO já se apresentou em vários lugares do Brasil, especialmente na região do Meio Norte. Brasília, São Luís, Salvador, Teresina, Piripiri, Caxias, Timon, Luís Correia e Parnaíba já estiveram na #SENTADOTOUR, turnê em que o DJ e produtor leva suas faixas autorais para a apreciação do público.

EPs e single

Em 2019, SENTADO fez seu debut como produtor de forma tardia, pois ainda não havia encontrado coragem de mostrar suas lapidações. Em “PANTHEON”, o artista busca trazer à tona a poluição do Rio Parnaíba e Poty, em Teresina, além do saudosismos da cena eletrônica dos anos 10. No mesmo ano, SENTADO lança “K@MIK@ZE ABSOLUTO”, faixa que hoje é bônus track de “PANTHEON”.

Em 2020 foi a vez do polêmico “MACONHA OU ELETROCHOQUE”, onde através da primeira faixa, “MACONHA OU ELETROCHOQUE, O MANIFESTO SENTADINHO”, o artista discorre sobre o conceito da proposta techno do trabalho.

Contatos

Instagram.com/sentadoproject/

Facebook.com/djlucrecio

0 Shares:
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode gostar