Três da Madrugada, Torquato Neto

 Três da madrugada

Quase nada

Na cidade abandonada

Nessa rua que não tem mais fim

três da madrugada

tudo é nada

a cidade abandonada

e essa rua não tem mais

nada de mim…

nada

noite alta madrugada

na cidade que me guarda

e esta cidade me mata

de saudade

é sempre assim…

triste madrugada

tudo é nada

minha alegria cansada

e a mão fria mão gelada

toca bem leve em mim

saiba:

meu pobre coração não vale nada

pelas três da madrugada

toda palavra calada

nesta rua da cidade

que não tem mais fim

que não tem mais fim

0 Shares:
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode gostar