Cicy Arcangelo: cantora e compositora de Teresina

A cantora e compositora Cicy Arcangelo é natural de Teresina-Piauí e é formada em Psicologia. Atua há 11 anos na música cantando em muitos espaços como bares, restaurantes e casas de shows. Além disso, já apresentou em eventos como o Salipi, Teresina é Rock, Teresina é Pop, Fest Bandas, Fest Luso, Festival de Monólogo e Piaga Festival 2021. Cicy Arcângelo lançou 12 singles divididos em 3 Ep’s. Seu trabalho toca nas principais rádios da cidade e sua música autoral além de ser muito respeitada demonstra o seu cuidado com a área musical. Com o início da pandemia a cantora começou a se dedicar mais ainda na criação de composições. Em 2021 foram lançadas canções como “Dias Estranhos” (Cicy Arcângelo, Kátia Godinho e Jairo Mouzzez) e “Invisível Tsunami” (Cicy Arcângelo e Bruno Farias) que fazem parte do novo EP da cantora.

 “Tenho um respeito muito grande pela música, pois ela tem a função da saúde na minha vida, ou seja, eu preciso da música para o meu equilíbrio, ela é minha terapia.” Cicy Arcangelo

Nome: Cicy Arcangelo

Descrição: Cantora e Compositora

Local de Nascimento: Teresina-PI

Escrito por: Alisson Carvalho


Uma paixão despretensiosa pela música

Segundo Cicy Arcangelo, a única pessoa da família que tem relação com a música é o seu irmão, DJ Dorivan, que vem de uma vertente completamente diferente, pois ele atua na área da música eletrônica. A música sempre esteve presente no ambiente familiar e por isso já estava de certa forma internalizada nos gostos de Cicy e do irmão, cada um com as suas particularidades.

Com treze anos de idade Cicy viajou e no local tinha um violão, mas a viagem não estava muito empolgante e ela canalizou toda a sua atenção para o violão. Em aproximadamente dois dias ela pegou o básico do violão e começou a explorar o instrumento e a escrever as suas músicas, além de musicar essas composições. “De cara eu percebi que eu gostava de escrever música mais que cantar e tocar.”

As primeiras vivências de palco

Quando Cicy Arcangelo completa seus dezoito anos conhece o cantor e compositor Ravel Rodrigues que convidou a compositora para cantar em uma banda que ele estava montando que chegou a se apresentar algumas vezes. Com essa experiência os integrantes resolveram criar seus próprios projetos e desfizeram a banda, a partir desse momento surgiram várias experiências musicais propostas por cada um dos músicos como a Capiau e Teresa Fiona. Cicy ficou na banda Teresa Fiona com os músicos Kerol (baixista), Dudu
(baterista) e o Sapão (guitarrista). A banda tocava samba rock e chegou a participar de uma seletiva nacional na qual competiram com bandas de todo o Brasil sendo selecionados para ir à Argentina, porém não chegaram a concretizar a viagem por alta de incentivo. Cicy Arcangelo tocou durante dez anos na banda, inclusive o primeiro show da banda, segundo a artista, foi no Piauí Pop.

A poesia da música de barzinho

Cicy Arcangelo nasceu da necessidade de cantar nos bares e nas noites teresinense. E a artista destaca que até o período que vivenciou a música autoral na banda Teresa Fiona não existia o nome artístico, mas quando ela começou atuar cantando cover criou a alcunha Cicy Arcangelo. Então durante todos esses anos a cantora investiu nesse universo, mas nos últimos 4 anos ela tem retomado seu trabalho autoral. A partir desse retorno a cantora e compositora organizou suas canções e criou um repertório para o seu show, com isso produzindo material necessário do seu EP que está em processo de produção. O cover embora não seja o trabalho que mais inspire a artista, mas deu um suporte durante algum tempo e mesmo desenvolvendo esse trabalho Cicy continuou compondo as suas canções, mas sem expor as suas obras. “Os artistas começaram a me gravar antes de mim”, diz Cicy ao relembrar as muitas canções que ela compôs para outros cantores.

“Quando eu canto eu estou falando o que estou sentindo e as pessoas sentem quando você é sincera.” Cicy Arcangelo

 

A verdade da poesia

Apesar do medo do palco que durante muito tempo era considerado um ambiente de destaque para Cicy Arcangelo, ela foi conseguindo seguir uma trajetória no mundo da música e deixando a sua arte falar mais alto que qualquer barreira. Segundo Cicy, a música é um instrumento da verdade interna do artista e quando essa verdade cria forma e é externalizada na forma da voz e música o público é capaz de sentir e reconhecer essas emoções. A artista autodidata buscou ao longo do tempo conhecimentos para o seu aperfeiçoamento no palco e foi construindo aos poucos uma carreira na área da música autoral. E ela relembra como, nesse período, existiam espaços para o autoral com opções diversificadas para o público, porém com a disputa pelo mesmo tipo de cliente entre bares e casas de shows houve uma queda no trabalho autoral. Nesse momento a compositora ficou adormecida no universo do autoral (pelo menos dos palcos) para dar lugar ao seu repertório de cover. Essas vivências ajudaram a formar a cantora de multifacetada que atualmente explora de tudo um pouco e que tem no seu repertório cover canções de Cássia Eller, Nando Reis, Cazuza, além de ter forte influência de Marisa Monte e Maria Bethânia. Apesar da experiência de tocar nos bares, Cicy atualmente é apaixonada pelo palco, é lá que ela mostra todo o potencial das suas canções e criações.

 

A brutalidade da poesia

“Quando eu canto eu estou falando o que estou sentindo e as pessoas sentem quando você é sincera.” Segundo Cicy Arcangelo, sua maior paixão é a composição e quando ela canta as suas próprias músicas há um sentimento de apropriação daquela obra autoral, diferentemente de uma interpretação cover, pois por mais que o artista mergulhe na letra ele dificilmente compreenderá totalmente as bases que sustentam aqueles versos. “Quando eu estou mais introspectiva eu coloco o violão do palco. É muito bom cantar as suas músicas porque você sabe o que tá sentindo”, completa. A compositora escreve suas composições inspirada em sentimentos pessoais e com o foco no amor, mas no lado doloroso dessa emoção como situações de término, brigas e cotidiano. Além disso, existem aquelas músicas que debatem temas mais políticos como a canção “Avião Negreiro”, “Eles querem” e “Teresa, entre outras. E o processo criativo de Cicy Arcangelo é algo que acontece de forma espontânea, então ela aproveita esse momento da inspiração e cria tudo de modo integrado, mesclando a letra com a música no momento da criação.

Uma terapia melódica

Cicy Arcangelo além de cantora e compositora atua como psicóloga e ela declara que só veio descobrir a função que a música exerce na sua vida fazendo uma autoanálise principalmente quando se viu diante de situações que fizeram com que ela refletisse sobre o impacto que a música exercia em alguns momentos. E depois de passar por uma crise de ansiedade e ser assistida pela instrumentista e amiga Kerol, que colocou uma música da Marisa Monte para Cicy escutar, foi que ela decidiu averiguar o caráter terapêutico da música. “A partir daquele momento eu não fui a mesma pessoa, pois eu sempre cantei, sempre toquei, sempre compus, mas a música naquele exato momento não foi só música, ela foi um momento terapêutico. E me acalmou como nunca tinha acalmado antes. A Música pra mim tem a função de saúde”, completa. Para a cantora a música acaba se tornando um espaço, um lugar, um momento de positividade.

Contatos

https://www.instagram.com/cantoracicyarcangelo/

https://cicy-arcangelo7.webnode.com/

https://www.facebook.com/CicyArcangeloOficial/?ref=page_internal

Tel: 86 9 9401-5545

Fotos

Vídeos

Outras fontes

https://agazeta.news/noticia/cultura/cicy-arcangelo-mais-de-10-anos-de-carreira-e-participacoes-importantes/

Última atualização: 06/09/2021

Caso queria sugerir alguma edição ou correção, envie e-mail para geleiatotal@gmail.com.

Total
8
Shares
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Postagens Relacionadas