Todo mundo entende de arte, inclusive quem não entende de arte, por Noé Filho

A realidade da nossa cultura e do nosso sistema educacional é, de modo geral, a falta de preparo para lidar com as artes. Não é comum aprofundarmos discussões sobre arte, não é comum escolas que estimulem as artes de seus alunos, não é comum escolas que acreditem e incentivem que seus alunos trilhem uma carreira artística. E isso se reflete na dificuldade de conseguir público para determinados seguimentos artísticos.

Mas, mesmo não tem um preparo técnico, uma bagagem robusta, todos nós entendemos de arte, porque a primeira dimensão da arte é, na minha opinião, a emoção. Todos nós podemos avaliar se determinada arte se conecta conosco de alguma forma conosco, o que não significa, se não gostamos, que aquela arte é ruim e de má qualidade.

Confesso que muitas vezes me sinto tolhido a avaliar se gostei, por exemplo, de uma peça de teatro que vi, pois não sou ator, não tenho profundidade alguma nas teorias teatrais e a minha bagagem de espetáculos assistidos com certeza está muito aquém do que gostaria. Mas eu tenho o direito de avaliar, dentro da minha realidade, limitações, valores, vivências, o que a peça significou para mim. Todos nós temos esse direito. E imagino que para os artistas deve ser interessantíssimo ver os diferentes impactos que suas obras têm em pessoas diferentes e também ver o que é comum.

Um conhecimento técnico e histórico sobre todas as artes com certeza faz a diferença, amplia possibilidades, a análise fica muito mais crítica e rebuscada, pode-se analisar detalhes antes não vistos. E idealmente seria ótimo que nosso sistema educacional e a sociedade como um todo proporcionasse essa bagagem, até para formar um público engajado e preparado para discutir sobre arte. Mas independentemente disso, todos temos a capacidade e o direito de avaliar qualquer arte. Cabem aos artistas analisarem o que faz sentido ou não e saber que cada um fala, obviamente, dentro do seu ponto de vista e realidade.

E quanto mais incluirmos as pessoas no processo de discussão sobre as produções artísticas mais interessante é para os artistas e mais se ganha profundidade. Além de ajudar a formar público. Por isso, acho importantíssimo incluir e respeitar as mais diversas visões e opiniões. Arte é emoção. E todos somos capazes de definir que arte nos emociona e se conecta com nossa realidade.

Aqui no Piauí sinto muita falta de crítica especializada sobre arte. Talvez em função desse receio de se colocar nessa posição de avaliador ou por outros motivos. Acho que é um ótimo tema para outra publicação. Só vou finalizar esta ressaltando que quem não entende de arte é quem não se interessa por arte. Quem se preocupa mais com o status do artista, ou valor da obra, ou consome determinada arte para agradar outras pessoas e não por um interesse genuíno. Quem consome, vivencia, analisa arte por critérios que não sejam relacionamos a arte, realmente não entende de arte pelo simples motivo de não estar colocando a arte em primeiro plano.

 

Total
16
Shares
2 comentários
  1. Concordo com você. É isso mesmo! a arte dever ser acima de tudo sentida!
    Não vejo a arte como um status como alguns veem e manifestam em seus afazeres “artísticos”, até porque status uma hora é de um jeito e outra hora não mais. Mas a arte sentida no mais profundo e verdadeiro eu despretensioso de aplauso ou reconhecimento alimentado pela vaidade do “status”, essa sim atravessa todo tipo de entendimento, seja do mais simples ao mais sofisticado. Arte é e pronto! Se sente, se vive, se espalha naturalmente do interno ao externo do ser humano…

  2. Concordo com você. É isso mesmo!
    A arte dever ser acima de tudo sentida.
    Não vejo a arte como “status” como alguns veem e manifestam seus fazeres “artísticos’, até porque status uma hora é de um jeito, de um pensamento outra hora não mais,. Passou! Mas a arte sentida no mais profundo e verdadeiro Eu despretensioso de aplauso e reconhecimento (estes dois últimos alimentados muitas vezes pela vaidade do status)essa sim flui, atravessa todo tipo de entendimento desde o mais simples ao mais sofisticado.
    Arte é e pronto!
    Se sente, se vive, se espalha naturalmente do interno ao externo do ser humano…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Postagens Relacionadas