Aforismo sobre a morte, de Laís Romero

Nesta pele a palavra escorre violenta.
E nem mesmo a dor promove poesia neste instante.
O tempo examina atento as situações inventadas,
as vozes a mudarem o tom,
o rosto no seu mais encantado relaxamento.
‘É de brilho que se alimentam os espíritos.’
Pronunciam… e a palavra não se abala:
respira indômita na sua mais calma essência.

Total
0
Shares
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Postagens Relacionadas