CORPO, de Paulo Narley

Casa

Abrigo de tudo o que sou

Guarda-roupas de tudo o que passou

E também do que restou

 

Essência

Vibração

Experiência

Resistência

 

É ele minha porta pro mundo

O que me guia

Na escuridão

Carne, pele, osso, órgãos

Aquilo que tira e, às vezes, abriga minha solidão

 

É poesia

Tesão

Criação

Escrita viva

 

Casa de desejos

Fruto de prazeres

Vontades

 

Impulso

Aquilo que possuo e sou

É estrada larga

Oceano para navegar

 

Mar onde se afogar

E renascer…

Onde começo e termino

Mas sem me findar

3 Shares:
7 comments
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You May Also Like
Leia mais

Receita de Bomba

A bomba é um salgado tipicamente teresinense. Ele surgiu quando a dona Marlene Ferreira, sua criadora, resolveu empanar e…
Leia mais

Receita de Cajuína

Cajuína é uma bebida não alcoólica, feita do suco clarificado e cozido do caju. A clarificação se dava…