J. A. Rodrigues lança a obra “A fantástica Jornada pela Terra dos Confins”

O romance regionalista de fantasia “A Fantástica Jornada pela Terra dos Confins”, do autor piauiense estreante J. A. Rodrigues, conta a história da personagem Maria de Lourdes, uma criança com seus dez anos de idade que se vê diante de uma grande mudança em sua vida: deixar sua terra natal, a cidade de Livramento no interior do Piauí, e mudar-se para a capital Teresina. Sua jornada inicia quando a menina, junto com seus pais, vai à sua nova escola efetivar sua matrícula. Lá ela irá se deparar com a velha capivara da Serra, uma personagem enigmática que conduzirá a criança Maria por um mundo mágico, encantador e ameaçador ao mesmo tempo, mas que será fundamental para o processo de autoconhecimento pelo qual a protagonista deverá passar.

Esse novo mundo, a Terra dos Confins, que Maria de Lourdes passa a explorar está recheado de personagens inéditos surgidos da mente imaginativa do autor e outros já bastante conhecidos da cultura folclórica piauiense; oriundos das principais lendas do estado. Todos esses personagens estarão entrelaçados em um enredo cativante e frenético e que surge para reafirmar a cultura piauiense em todos os seus aspectos. O livro é uma obra telúrica e identitária do Piauí.

 

Quem é J. A. Rodrigues?

José de Arimateia Rodrigues escreve e desenha desde criança, começou criando suas próprias histórias de quadrinhos e nunca mais parou. Ele é formado em Letras-Português e em Artes Visuais, especializado em Estudos Linguísticos e Literários. Atualmente é professor de Artes visuais no Ceará e publica desenhos e as tirinhas “Sofia e Theo” na sua página do Instagram @arifauno83.

Trajetória do escritor

José de Arimateia começou a desenhar graças à influência dos desenhos que assistia na televisão e durante a sua formação foi conquistado pelas artes dos animes que incentivaram bastante a sua prática de leitura, pois ele começou a pesquisar sobre a história dos personagens mais queridos. Paralelamente o garoto começou a reproduzir esses personagens usando o desenho e posteriormente se desprendeu dos ídolos para criar os seus próprios personagens e as suas próprias histórias.

“Eu lembro da minha infância minha mãe chegando com o livro “Os três porquinho pobres” do Érico Veríssimo e eu tentava ler as histórias, até tentei fazer um quebra-cabeça com as imagens desse livro.”

J. A. Rodrigues fala sobre o poder da literatura, pois no Ensino Médio ele se deparou com a obra “O cortiço” de Aluísio Azevedo e começou, de fato, a se apaixonar pela literatura. A partir de então, o jovem começa a se interessar pela  disciplina e mergulhar de vez no campo.

Apesar dos clássicos da literatura terem arrebatado José, foi com a obra “Harry Potter”, da autora britânica J. K. Rowling, que o artista começou a criar raízes com o universo da escrita e leitura. “Eu sofri muito preconceito porque foi Harry Potter que me fez entrar para o curso de Letras e a obra não é muito valorizada na academia”, frisa. Segundo José, as obras de J. K. Rowling representa um divisor de águas na literatura e, embora não esteja dentro do cânone, tem a sua importância literária.

Inspiração do autor

A inspiração para a sua obra veio em meados de 2006, quando começou a retratar as lendas da terra natal e a cultura popular, além das histórias transmitidas no âmbito familiar.

O tema surgiu de uma preocupação em estudar as lendas piauienses no trabalho de conclusão de curso da graduação e dessa pesquisa o livro começou a ser desenhado.

Motivado pelo desejo de ver uma literatura fantástica ambientada no Piauí, com as idiossincrasias piauiense, José de Arimateia escreve trazendo toda a magia do folclore piauiense para a sua escrita. O livro serve também para mostrar as riquezas da cultura piauiense e é uma forma de valorizar toda essa diversidade cultural.

Contatos

Instagram.com/arifauno83

 

65 Shares:
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You May Also Like