HUMANITAS: ALÉM DOS 20, Por Valéria Lima

Imagem: Leandro Soares

Grupo Humanitas
Do savoir-faire teatral
Templo que ecoa
Ressoa espasmo pregnante
Do ser em favorável instante
Com destemor e amor
Gafanhotos no bojo
Borboletas inquietantes
Corações arfantes
Quão borbulhante
Encerrando com brio
Cultuados ditirambos
Pelas persianas cortinas
Ou na natureza lúcida
Despida de julgamentos
Paixão de Cristo em rito
Tom dos espetáculos
E que venham estimas
Emoções lídimas
Do teatro encenado
Troféus são regalos
Dos aplausos suados
Chuva-sol entremeado
Escorrido do peito
Esse desnudador
Que transluz palpitante
Coadunando respeito
Paladino do dessegredo
Não foge da vida dos enredos
Da realidade sentida
Que em piscar de celhas
Um excerto da existência
O que resta em potência
Nesse pulsar centelha
Salta em essência
E alegre flameja
O espírito contente
Desenhado na chama
A nuvem dos ancestrais
Convite da decência
Na instigante tragédia
Dramas complacentes
Comédias suspirantes
Salve Humanitas
Sagazes artistas
Téspis Dionísio avante
Baco grego amante
Da arte bela pungente
Vinte anos resistência
Infinita reverência
Evoé bacante

 

Imagem: Arte Por Valéria Lima

Valéria Lima, amante das artes, do teatro, dos grupos imponentes, artistas cruciantes, todos eles homenageados em sua hora, sem distinção de minhas honras. Evoé!

 

 

1 Shares:
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode gostar