Rascunho 1

Rascunhei um verso qualquer,

parafraseando pensamentos,

idealizando sentimentos,

resgatando da gaveta esquecida

algumas folhas perdidas.

Sem nenhuma inovação,

escrevo versos de verão,

daqueles voláteis

que nunca serão lembrados,

são curtos traços inacabados.

Líquido sem valor,

nem tardou e já evaporou,

são fragmentos desconexos

recolhidos no breu da madrugada

aleatoriamente, sem ser censurado.

Sem ter forma, cor, sem ter nada.

0 Shares:
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode gostar