Só(l) no Piauí, de Noé Filho

Foto de Juscel Reis

Todo homem tem sua hora
De cogitar sobre o porvir
Enquanto veleja pelas serras das confusões do passado

Percebi que a luz que ia até longe
Também pode brotar mar de flores
No ardor dos nossos corações

Capivara, cuscuz, delta
Mandu Ladino, panelada, rap
Zabumba, opala, Niède
Beiju, antares, tatu

O sol no Piauí anuncia como um jornaleiro de gesso
Que os sonhos demolidos pelas oferendas
Podem renascer e voar muito mais alto que o salto do cavalo cobridor
Enquanto eu lia lá em Nova Iorque
Lembrei que só no Piauí tem Maria da Inglaterra e João de Piripiri
Lembrei que em termos de talento no Piauí
Não se tem o que discutir

Sertão, bomba, seriguela
Bode, dança, 7 cidades
Jenipapo, guará, carnaúba
Heavy metal, kite surf, pitomba

Aqui, sobra mais que os dons dos Zés
Quem consegue sarar, nem que seja com foices e facões,
E transformar nos mais honrados dos metais
O eterno ranger dos dentes de quem não quer fazer nada

Vamos celebrar a Geleia Total piauiense
Porque é graças a essa diversidade
Que podemos ser gritadores, contra qualquer calmaria,
Do quanto nos orgulhamos da nossa luz
E da certeza de que jamais trocaremos esse amor
por nada nesse mundo

0 Shares:
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode gostar