SOS, de Alcenor Candeira Filho

sempre
sós
como ondas:
ontem hoje após.
sempre
sós
somos:
eu e tu e vós…
quanto
sobra
são
sombras
em torno de nós.
sombras,
só,
quando
e onde:
SÓS! SÓS! SÓS! SÓS!
somos

nós
sonhos
enquanto não pós.

0 Shares:
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You May Also Like