Branca de Dias, por Valéria Lima

Foto: Valéria Lima

BRANCA DE DIAS

Dicotômica poesia no prelúdio
O chambre no chão lúdico
Flume rijo refletido à lua
Anuncia “Vagalume” nua

Tão puro ao azul de réu
“Socorro” perdido ao léu
Súplica criatura de batina
Na aflição salvou-lhe a menina

Um desalento desmedido
O que será tal ruído?
Afogamento de um insólito homem
Branca Dias puxando-o sem nome

Olhares de estranhamento
Fôlego ávido do momento
O crucifixo a salvo irmão
A canoa se foi com o tostão

A figura será de Deus?
Perguntas alerta aos seus
Confusa Branca cisma
E aceita sua breve partida

Encharcados em cansaço
Espirros sugerem baraço
Em despedida ambos avante
Recolham à reflexão arfante

Pobre Branca menina-mulher
Ao noivo conta o feito de fé
Foi repreendida sem entender
Nesse mundo ambíguo a temer

Um boca-a-boca sem pensar
Por não haver nada a duvidar
Salvar a vida de outro ser
Seria mesmo que ela revisvecer

Não revela acusado beijo
Entenda o lídimo ensejo
Dessarte julgada por heresia
E tantas “culpas” que não entendia

Saber ler um absurdo
Ainda sentir prazer soturno
Em pensamento ao pretendido
Seu desbrio se deixasse morrido

Incompreendido desejo ela queria
Antecipar enlace, Virgem Maria
Cristãos-novos que fique claro
Enxoval de Portugal único amparo

A mente rondava pesadelos
De nada adiantaram seus apelos
Baralhada a acreditar nos atos falhos
Patavina contestações em frangalhos

O pai e o noivo na peia
A tortura ditatorial enreda
A paixão contida do clérigo
Infernizou a vida com êxito

A honra nubente em manter
O que lhe resta acontecer?
Vistoria sem demais a topar
O aviltamento pior que lapear

A flama incendiou decisão
Branca Dias, filha de Simão
Tomada na labareda da injustiça
No inquérito contida da milícia

Era Paraíba 1875
Ano 66, Dias Gomes escrito
Hoje, 2020 ouvimos
Audíveis intrépidos “urros”!

Este poema foi inspirado em Branca Dias, personagem principal, atuada por Gilvana Morgana, da obra “O Santo Inquérito” de Alfredo Dias Gomes, a qual foi encenada pelo GRUPO TEATRAL CAHUAHAN (Universidade Estadual do Piauí), dirigido por Moisés Chaves Nunes, seguindo as imagens do espetáculo supracitado.

Ficha técnica

Leitores:

Cairo Brunno
Carlos Taylan
Francisco Augusto
Janá Silva
Moisés Chaves
Sandra Lima
Valéria Lima

Diretor Grupo Cahuahan:

Moisés Chaves Nunes.

Música:

Vagalume, de José Eduardo Pereira, ao violão Jairo Cavalcanti e Victor Lira.

Edição e direção:

Robicharlyson Coelho

Título texto:

Branca De Dias

Autora:

Valéria Lima

Imagens do vídeo:

Robicharlyson Coelho

5 Shares:
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You May Also Like
Leia mais

Receita de Bomba

A bomba é um salgado tipicamente teresinense. Ele surgiu quando a dona Marlene Ferreira, sua criadora, resolveu empanar e…
Leia mais

Receita de Cajuína

Cajuína é uma bebida não alcoólica, feita do suco clarificado e cozido do caju. A clarificação se dava…