Artista piauiense Cardoso Not foi selecionado para participar do Artist’ Valley

Foto reprodução: CardosoNot

A CCXP é um dos maiores eventos digitais do mundo, nas últimas edições presenciais, já reuniu mais de 1 milhão de pessoas. No Artists’ Valley, mais de 120 mil ilustradores, roteiristas, coloristas e artistas gráficos já comercializaram seus trabalhos. Também passam pelo evento, grandes empresas do entretenimento e cosplayers diversos.

O evento acontece nos dias 05 e 06 de Dezembro em cinco palcos de conteúdo e será compartilhado através de três streamings simultâneos – o acesso aos conteúdos dos painéis será gratuito e reúne importantes artistas do mundo inteiro.

O artista visual Cardoso Not, foi selecionado para participar do evento. Em entrevista a Geleia Total, o artista relembra como iniciou sua carreira artística. “Costumo dizer que muito do que sou e faço hoje é resultado da maioria dos projetos sociais que encontrei ao longo do caminho. Um dos projetos mais significativos pra mim sempre será a Feira HQ, feira que acontecia de maneira anual na cidade, que era realizada pelo Núcleo de Histórias em Quadrinhos do Piauí e que tinha como presidente o Bernardo Aurélio, uma pessoa extremamente importante para a nossa cultura piauiense, e principalmente para a comunidade de quadrinhos.”

 O quadrinista destaca que desde criança se interessou pela arte:

“Apesar de tentar fazer quadrinhos em casa, foi na feira que consegui de fato entender este universo da arte sequencial que sempre me encantou desde a infância. Foram vários anos competindo, desenhando, vários prêmios alcançados e várias amizades construídas através desta arte. Antes da feira, o liceu piauienses, local onde estudava na época, recebeu o “Arte na Escola”, acredito que era assim que se chamava, era um projeto que levava arte aos jovens das escolas públicas da nossa cidade, lá eu tive meu primeiro contato com  o Bernardo Aurélio e tive o grande prazer de conhecer o artista Jota A, que sem sombras de dúvidas é o maior artista vivo de nossa cidade”.

“Esses dois projetos ampliaram um amor existente dentro de mim sobre quadrinhos, o que iria me fazer participar da Feira e que mais tarde, ao término da mesma, faria eu procurar competir fora, o que me levaria ao festival internacional de quadrinhos e posteriormente à CCXP. Queria também, se me permite,  aproveitar o espaço e dizer a essas duas pessoas o quanto elas são fantásticas na minha vida  e que, aquela pessoinha subversiva que eles ensinaram quadrinho, não se perdeu. Ela está aqui, é extremamente grata, e está à disposição para reativação desses dois projetos. Podem contar comigo sempre”.

O artista destaca que o processo de seleção do Artist’ Valley by@santanderbrasil é extretamente minucioso, primeiramente é verificado todo o material enviado, após isso o participante defende porque deve participar do evento, como também é cobrado um conteúdo mais diversificado o que pesa dentro do processo seletivo. “Então, logicamente, não tem como não se sentir extremamente honrado, não só por passar por essa seleção minuciosa, que eles próprios afirmam realizar, mas por isso também representar que o meu trabalho seja relevantemente significativo, socialmente ou culturalmente, para serem repassadas ao público através do evento, ainda mais nos dias atuais onde diferentes bandeiras são levantadas e diferentes direitos são defendidos”.

Cardoso se sente orgulhoso e feliz por demonstrar sua arte e representar o Piauí.

“Pra mim sempre será um enorme prazer poder representar o Piauí, o local onde eu nasci, local onde cultivo amigos e que foi o principal berço para minha educação. Encaro como uma enorme responsabilidade, uma vez que além de representar a arte sequencial e digital do Piauí, por morar minha vida toda em Timon, irei também carregar as cores da bandeira do estado do Maranhão, berço familiar dos meus pais. É a terceira vez que vou para a CCXP e cada edição é única. A primeira vez que fui   selecionado para expor meu trabalho foi em 2016, em São Paulo, lançando o primeiro volume do meu quadrinho independente, Nerunda quando os pássaros voam, em 2017 na CCXP Tour Nordeste, lancei o segundo volume do meu quadrinho, e em 2021 na CCXP Words, que será totalmente online, vai ser minha terceira participação e primeira totalmente dentro dessa nova proposta. Como o slogan do evento mesmo diz, vai ser épico”

O Artista explica o quanto a luta do artista para conquistar o seu espaço é importante. “Para minha carreira, sendo bem honesto, isso é algo bem mais pessoal e muito mais do que uma seleção, ou qualquer tipo de afirmação, é a certeza de um diálogo ainda vívido e extremamente verdadeiro com minha criança interior, na qual aprendeu a ler e a escrever observando o rico universo dos quadrinhos, e que através da arte não se aprisionou em um único estilo ou vertente artística, mas que encontrou liberdade suficiente para continuar realizando seus sonhos”.

Cardoso ressalta que atualmente trabalha com SlitArt, um estudo que propõe desenvolver no meio artístico,  uma imersão do artista para com ele mesmo e que o possibilita à migração, contínua ou não, entre vertentes artistas, diferente da interação artista/público que é a principal escolha dos artistas e principal responsável pelo famoso conceito “artista em crise”.

O artista explica que está finalizando seu  próximo quadrinho intitulado, Escrita Latente. “Trata-se de um quadrinho com um formato diferente e também na forma de execução dos outros projetos de arte sequencial que lancei, é um trabalho que estou fazendo com mais paciência. Irei abordar temas pertinentes dentro de nossa sociedade atual, posso falar que é um quadrinho, em parte, bem pessoal, mas, que não abandona a magia ficcional que o quadrinho e o cinema oferecem. Alguns momentos se passam aqui, mas antes de tudo, mais que uma simples localização, acredito que é um presente ao povo piauiense. Acho que é só isso que posso falar”, completa.

Algumas artes de CardosoNot:

Total
0
Shares
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Postagens Relacionadas