Seplan participa de missão à Rota das Emoções focada no desenvolvimento sustentável

De 15 a 25 de fevereiro, a Embaixada da França no Brasil e o Consórcio Nordeste realizam uma missão de estudos técnicos no Ceará, no Piauí e no Maranhão – estados que compõem a Rota das Emoções – com o objetivo de melhorar a integração da agricultura familiar local na economia do turismo sustentável. O projeto é financiado pelos estados envolvidos e pelo Ministério da Agricultura e da Alimentação francês, e é um desdobramento da carta de intenções focada no desenvolvimento sustentável, assinada em 2019 entre a França e o Consórcio Nordeste, grupo que reúne os nove estados da região.

A missão resultará na estruturação de um projeto de melhoria dos produtos regionais.

“Nesta sexta-feira (18), estamos na Ilha Grande. Essa primeira missão é exploratória e estamos vendo diversas atividades que são características da região, como as rendeiras de bilro, as marisqueiras de Ilha Grande, os pescadores de manjuba. Esse trabalho serve para construir as indicações geográficas dos produtos e estruturar todo o projeto em cooperação com a Agência Francesa de Desenvolvimento e com o Fundo Francês de Meio Ambiente. Trata-se de uma proposta que vai contemplar as áreas de capacitação dos produtores, preservação ambiental e inserção comercial organizada através de um selo de identidade cultural. Com isso, a gente objetiva aumentar a geração de renda e a qualidade de vida das pessoas envolvidas no projeto, além de fortalecer a Rota das Emoções com um novo atrativo, que são os processos produtivos ligados à agricultura familiar, aos artesãos e aos extrativistas da região”, destacou a secretária de Estado do Planejamento, Rejane Tavares.

A missão é liderada por um especialista do Instituto Nacional da Origem e da Qualidade (INAO), organismo francês responsável pelas indicações geográficas do país, mecanismo que permite a valorização de produtos específicos de um local. Na França, as indicações geográficas permitiram o reconhecimento internacional de diversos produtos de excelência que são associados à sua região de origem, como o Champagne, o Cognac e o queijo Roquefort. O Brasil e a França já têm um histórico de cooperação na área das indicações geográficas, como no caso do queijo mineiro Canastra.

A Rota das Emoções, conhecida pelas belezas naturais dos Lençóis Maranhenses, do Vale do Parnaíba e de Jericoacoara, possui também uma rica agricultura tradicional. A iniciativa, portanto, tem o intuito de propor um plano de ação para valorizar a produção agrícola familiar local, que inclui a cajuína, a farinha de mandioca, o mel e a pesca artesanal, entre diversas outras. Após a proposta desse plano, uma segunda missão, de maior escala, será organizada no início do segundo semestre deste ano para acompanhar a sua implementação.

Esta primeira missão prevê visitas a mais de dez associações comunitárias presentes ao longo das Rota das Emoções, para conhecer e realizar um diagnóstico de seus diferentes processos produtivos e formas de governança, passando também por locais de grande fluxo turístico da Rota, onde os produtos locais são comercializados. A comitiva será recebida em Parnaíba pelo Governador Wellington Dias, no dia 19 de fevereiro, e finaliza seus trabalhos em São Luís com uma agenda institucional com o Vice-Governador do Maranhão, Carlos Brandão. O projeto reafirma, assim, o compromisso da França e dos estados do Nordeste com o desenvolvimento sustentável e representa um resultado direto dos trabalhos que vêm sendo realizados entre a Embaixada, o Consulado Geral da França em Recife e o Consórcio Nordeste.

Além do especialista do INAO, participam também representantes da Embaixada da França, do Consulado Geral em Recife, do Consórcio Nordeste e dos Governos dos Estados do Ceará, do Piauí e do Maranhão.

 

Total
15
Shares
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Postagens Relacionadas