Relembrando "Secante" de Wanden Lima

9e0978eb-4f6b-4848-a7b2-0daf7ca38937.JPG
Foto: Rafael Mendes 
O espetáculo “Secante” tem como texto um dos contos do escritor Fontes Ibiapina que retrata a seca na perspectiva de uma criança. A descrição rica e poética encantou o diretor Wanden Lima que adaptou o conto para a linguagem teatral.

“Secante” foi montado pelo grupo Renascer em 2002 e logo rompeu as fronteiras do Piauí se destacando no Festival do Cariri, na cidade do Crato e também no Festival da Juventude, em Recife. O grupo circulou com a obra e apesar das 12 apresentações conquistou o público e a crítica.

“A escolha desse texto foi uma forma de homenagear o escritor, já que Fontes Ibiapina dá nome à escola onde a história do grupo começou. A companhia leva aos palcos um dos episódios mais marcantes da história do Piauí e com isso realiza o processo de resgate da identidade e a valorização do estado. O CTR surgiu em 2001, através da iniciativa de professores de Educação Artística na Unidade Escolar Fontes Ibiapina.”

A peça não parou por aí, foi montada pela Épica Cia de Criação em 2014, também dirigida por Wanden Lima. O grupo percorreu os teatros de Teresina, além de apresentar em outras cidades do Piauí e em João Pessoa, na 1ª Mostra Internacional de Teatro de João Pessoa/PB  com o espetáculo Secante.

E do que se trata esse texto que inspirou o grupo?

“Fontes Ibiapina começa a descrever, em seu emblemático “Trinta e Dois”, toda a terrível saga do povo nordestino diante do fenômeno da seca. O autor demonstra todo o seu poder poético e de síntese, narrando com perfeição o episódio da seca de 1932 no interior do Piauí.”

“Fontes Ibiapina relata, em detalhes, o sertão e todo o sofrimento das pessoas para fugir da morte estampada na vegetação, na falta de água e em muita fome?, diz Wanden, lembrando que a companhia criou, através de suas pesquisas, todo universo composto pelo autor, incorporando a este um rico e amplo discurso que envolve além do texto uma construção física forte e intensa. Discutir a seca é falar de algo que faz parte de nossa região, algo que está ligado a nossa história, algo que nunca devemos esquecer, complementa.”

“O espetáculo além de alertar sobre um tema que faz parte principalmente da história dos nordestinos contada e adaptada para a linguagem do grupo. Cada grupo de teatro segue a sua linha de abordagem, por isso o espetáculo teatral é uma obra única. Diversos grupo já montaram Romeu e Julieta, mas cada um colocou no texto a sua abordagem. Isso é fantástico, pois a cada espetáculo, o público pode se deparar com uma nova visão da obra.”

“A adaptação manteve a essência da obra, a essência textual do autor. No caso de “Trinta e Dois”, Wanden procurou revelar esse universo primário, o homem na luta constante pela sobrevivência, tentando de todas as formas vencer a natureza.”

“Com a Épica Cia de Criação o espetáculo participou da 1º Mostra Internacional de Teatro de João Pessoa/PB em 2014 com o espetáculo Secante. Prêmios de Melhor Sonoplastia, Melhor Figurino, Melhor Iluminação, Melhor Diretor e Melhor Espetáculo no Troféu “Os Melhores do Teatro Piauiense” em 2014. Além disso, a peça foi apresentada no Projeto Encontros Épicos aprovado do Edital BNB de cultura de 2010 realizado nas cidades de Pedro II e Piripiri.”
Fontes: https://www.meionorte.com/blogs/culturaeturismo/epica-leva-o-espetaculo-secante-para-mostra-internacional-de-teatro-305713
http://epicaciadecriacao.blogspot.com.br/p/secante.html
https://180graus.com/agenda-cultural/teatro-do-boi-recebe-espetaculo-secante-da-epica-cia-de-criacao

Total
0
Shares
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Postagens Relacionadas