Os frutos da cultura nordestina, As Fulô do Sertão.

As Fulô do Sertão é um trio musical que nasceu com o objetivo de cantar canções que falem e valorizem a cultura nordestina. Criado em 2014, o grupo atualmente é composto por Adnayane Martins, Écore Nascimento e Tauana Queiroz. A paixão pela cultura nordestina que uniu “As Fulô” aliada a paixão pela música foi o gatilho inicial para fazer brotar o projeto que depois de pronto acabou sendo rapidamente abraçado pelo público. O grupo é sucesso onde quer que vá, já se apresentou Festivais por todo o Piauí, programas de TVs nacionais, por exemplo no Programa do Ratinho da emissora SBT e na TV Aparecida. As Fulô do Sertão lançaram em 2018 o seu primeiro disco nomeado “Balanço do novo amor” e já preparam o próximo CD só com composições autorais.

 

 

Nome das integrantes: Adnayane Marins (Triangulo e Percussão), Écore Nascimento (Voz, Violão e Sanfona) e Tauana Queiroz (Zabumba).

Descrição: Banda de forró

Data de Nascimento: 2014

Local de Nascimento: Teresina-PI

Escrito por: Alisson Carvalho
Revisado por: Paulo Narley

Como brotou as Fulô

A paixão pelo forró foi o elo que uniu Écore Nascimento e Vanessa Lobão, as duas se conheceram e nutriram o desejo de criar uma banda que posteriormente foi concretizado com a entrada da Tauana Queiroz e Adnayane Marins. Elas ainda organizaram uma apresentação musical para animar o aniversário da Vanessa Lobão. Dessa experiência bem-sucedida foi que surgiu o grupo “As Fulô do Sertão” em setembro de 2014 que recebeu uma doação dos primeiros instrumentos da banda graças ao apoio do professor e pesquisador Wilson Seraine, representando a Colônia Gonzaguiana. A formação inicial era composta pela Écore Nascimento (violão, acordeom e voz), Vanessa Lobão (sanfona), percursionista Adnayane Marins (triângulo e vocal) e Tauana Queiroz (zabumba e vocal). A primeira apresentação do grupo aconteceu no aniversário do Palácio da Música, evento que lotou a casa, e foi a partir desse evento que o grupo começa a receber convites para apresentar para diversos públicos e eventos. A partir daí é que elas começam a compor as suas próprias músicas. Em 2015 Vanessa Lobão se desliga do grupo e o grupo se reestrutura voltando aos palcos como um trio e transferindo a sanfona para Écore Nascimento.

“O Forró é uma manifestação cultural e de tão rico que é pode ser dança, música, lugar ou tudo isso junto.” Écore Nascimento

A paixão pelo forró

Écore Nascimento é teresinense, nascida em 1990 e formada em Pedagogia pela Universidade Federal do Piauí. É cantora e pedagoga, iniciou sua vida artística em 2007, estudando violão clássico com o músico, instrumentista, arranjador, compositor e diretor musical Josué Costa. E já no ano seguinte ingressou na Orquestra de Violões de Teresina, uma experiência que durou dois anos. Desde então sua vida segue dividida entre a música e a sala de aula. Em 2014, Écore Nascimento conheceu Vanessa Lobão fizeram do forró uma motivação para formar o grupo “As Fulô do Sertão”. Posteriormente, com a saída de Vanessa do grupo, a artista inicia os seus estudos com o acordeom. Como cantora, Écore foi finalista do Festival Sanfonia, no Piauí e atualmente integra a Orquestra Sanfônica Seu Dominguinhos.

“O forró me representa Luz e Energia. Quando subo no palco me entrego, me transformo. E procuro levar sempre a melhor energia possível para quem vai ouvir a nossa música.” Adnayane Marins

Jardim regado com forró

Adnayane Marins nasceu em 1991 em Barra do Corda no Maranhão, em que, desde muito nova se destacava no meio artístico por sua desenvoltura e comunicação. Trouxe do berço a paixão pela música alimentada pelas rádios e pelo incentivo do pai, quem presenteou a futura artista com um violão. Adnayne mudou-se para Teresina em 2007 para estudar e formou-se em Pedagogia pela Faculdade Santo Agostinho, onde sempre participou de peças de teatros realizadas pela faculdade. Aprendeu sozinha, desde seus 11 anos, a tocar violão popular, tendo aulas com o professor Josué Costa em 2013 para aprender novas técnicas. Teve muito incentivo de seu marido Gustavo Cipriano que, por ser músico, lhe deu muitas instruções e aulas sobre partituras e percussão. Em 2013, entrou na Orquestra Sinfônica de Teresina em que atua na parte Técnica e administrativa. Iniciou em 2014 aulas de acordeom com o professor Ivan Silva. Participou do musical “Cabaret da Paissandú” produzido pelo Diretor Edivan Alves apresentando-se no Palácio da Música em junho de 2014. Nesse mesmo ano, integrou-se no grupo “As Fulô do Sertão” em que atua tocando percussão e fazendo vocal. Em 2016, assumiu a direção do palácio da música onde ocupa o cargo até hoje. Também participou da organização e produção de festivais como Festivais de bandas de música de Teresina e Festival de Sanfonas de Teresina.

“O forró fala muito do início da nossa história enquanto nordestinos, ele é um retrato do nosso povo.” Tauana Queiroz

A flor de caju nordestina

A teresinense Tauana Queiroz nasceu em 1996 imersa no mundo das artes graças à influência dos pais. O pai, Tadeu Queiroz, incentivou a filha a aprender violão e a mãe, Márcia Evelin, contadora de histórias foi quem apresentou à filha o mundo lúdico da arte. O contato frequente com a música tem como berço a sua influência artística de nomes como Alceu Valença, Geraldo Azevedo, Luiz Gonzaga, Papete, Xangai e artistas piauienses como Chagas Vale e Vagner Ribeiro. Devido esse contato desde a infância com a música regional, Tauana criou afeição com os ritmos nordestinos e descobriu afinidade com percussão. Incentivada por integrantes da Colônia Gonzaguiana, aartista aprendeu o instrumento que a leva aos palcos: a zabumba. Integrante da banda As Fulô do Sertão, Tauana Queiroz também se dedica a composição de letras e melodias. Musicista da Banda de Pífanos Caju Pinga Fogo ela acompanha sua mãe no Grupo Cafundó de Contadores de Histórias, é formada e atua como jornalista, é fotógrafa de parto, família e doula (assistente de parto). Atualmente faz especialização em Direitos Humanos, pela Faculdade Adelmar Rosado e integra a Comissão de Apoio a Vítima de Violência da OAB-PI, na qual desempenha trabalhos relacionados ao combate a violência obstétrica e como ativista da humanização do parto.

Triângulo, zabumba e sanfona

As Fulô do Sertão foram abraçadas pela cidade e em pouco tempo já estavam apresentando nos principais festivais de música do Piauí. O repertório da banda, que conquistou um público bem variado, tem sempre a pegada na tradição nordestina, mas sem esquecer das músicas autorais piauienses que são inspirações para a banda. A responsável pelas composições da banda é a Tauana Queiroz que tenta sempre dialogar com temas que envolvem a natureza e a cidade. Já Adnayane Marins, além de participar da banda, assumiu a função de produtora da banda e levou a forma de organização para o interior das reuniões do grupo. Para a banda, um dos grandes desafios enfrentados foi a reestruturação da banda e que também revelou a sanfoneira Écore Nascimento, pois só então a cantora pôde estudar novo instrumento. O outro desafio enfrentado pelas As Fulô do Sertão é ser mulher em um cenário geralmente ocupado por homens, mas são obstáculos que as Fulô enfrentam com muita garra e bastante elegância.

Contatos

Instagram.com/asfulodosertao/

Facebook.com/asfulodosertao/

Produção: (86) 9 9985-0019 / (86) 9 8805-5107 (whatsapp)

youtube.com/channel/UCYhG4pwM8LjDvu8QBpWzeIA

Fotos

Este slideshow necessita de JavaScript.

Vídeo

 

Discografia

As Fulô do Sertão: Balanço do novo amor (2018).

Outras fontes

https://www.meionorte.com/blogs/culturaeturismo/grupo-as-fulo-do-sertao-resgata-cultura-nordestina-312433

http://entrecultura.com.br/2018/10/20/entrecultura-entrevista-ecore-nascimento-adnayane-marins-e-tauana-queiroz-as-fulo-do-sertao/

Última atualização: 12/11/2018

Caso queria sugerir alguma edição ou correção, envie e-mail para geleiatotal@gmail.com.

4 Shares:
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You May Also Like
Leia mais

Lais Rosa

Ela é um sucesso nas redes sociais, seus textos ultrapassaram as fronteiras e conquistaram admiradores de todas as…