Paisagens da carne, Jonas Fontenelle da Silva

o teu corpo lirial, do alvor de Sete-estrelo,

É uma verde floresta em cuja sombra e solo

Passam deusas pagãs de aljava a tiracolo,

Ha rouxinóis de aroma em teu loiro cabelo.

Muita vez sob a aç~so de infernal pesadelo

Se transforna o teu vulto em paisagens do pólo

E cuido ver na alvura hibernal do teu colo

A refração do luar nas montanhas de gelo.

E na alucinação de apaixonado creio

Ver dois ursos, do Sol aos mortiços lampejos,

Dois ursos de rubis nos botões do teu seio.

E do gelo polar entre as pratas e espelhos

Vejo ao longe os viris esquimaus dos meus beijos

Lança em punho, em caçada a esses ursos vermelhos…

0 Shares:
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You May Also Like