LUCIANO SANTOS: CASA DE FERREIRO, ESPETO DE OURO!

Foto by @isabelasipaubafotografia

Cláudio Luciano Carvalho dos Santos, é o filho caçula do Maestro Luiz Santos, nome de grande respaldo na história da música piauiense, que carrega em sua biografia, dentre as muitas contribuições, a autoria do hino do River Atlético Clube – “Avante riverinos…”. Luciano Santos, mais conhecido  pelos teresinenses como o maestro do humorista João Cláudio Moreno, é o caçula de doze irmãos e vem de uma família dedicada a três áreas distintas legadas pelo pai: a polícia militar, a música e a docência.

Luciano herdou do progenitor o amor pela música e pela educação. Graduado em Educação Artística com Habilitação em Música (UFPI), Letras-Inglês (UESPI) e especializado em Docência Superior e Educação Musical, divide o seu tempo entre os palcos e as salas de aulas em instituições da rede de ensino privada, pública e escolas específicas de música.

LUCIANO POR ELE MESMO

“Eu já fui mais sonhador”.

Luciano Santos acredita que hoje com 47 anos vê o mundo de uma maneira mais cética, principalmente no que diz respeito à política brasileira e piauiense ou mesmo diante de alguns posicionamentos da humanidade, como por exemplo, no enfretamento da Pandemia do novo corona vírus, momento no qual ele esperava mudanças mais significativas  relacionadas ao cuidado com o outro. Mesmo assim a música tem sido sua aliada constante, e dela ele se alimenta no dia a dia para enfrentar os reveses que se apresentam em sua trajetória pessoal e profissional.

UMA INFÂNCIA ENTRE FARDAS E MÚSICA

Da direita para esquerda: Carlos Estevão (Sax), Índio (Trombone de pisto), Ronaldo (Trombone de vara), Egilson (Bombardio), Luís Carlos Soares (Sax-alto) e Atayde (Bombista). Luciano Santos à frente do grupo. Acervo pessoal de Luciano Santos.

7 de setembro era dia de festa grande na família. Luciano lembra com certa nostalgia os uniformes engomados e pendurados para o desfile, ponto alto do dia.

O violonista acompanhava o pai e os irmãos nas datas comemorativas. Um detalhe importante das suas memórias, era de que por ser o caçula o pai o levava vestido com roupas semelhantes as suas, ou seja, Luciano era trajado como um pequeno maestro-coronel.

Outra lembrança que guarda com carinho, foi ver o pai ministrando uma palestra na antiga Escola Técnica Federal do Piauí:

 “Aí eu tive uma noção, comecei a entender a grandeza, de como era fantástico dar aula. Ele tinha uma didática impecável. Realmente era um facilitador para os alunos”.

Mas o despertar para a docência veio muito depois, primeiro veio o amor pelo desenho, pela música, pelo balé, pelo direito e pela vontade de ser militar como o pai, não necessariamente nessa ordem, e os caminhos da vida de Luciano Santos foram se organizando de uma forma surpreendente para ele.

OS VIOLÕES LUIZ SANTOS E ADÉLIA

Dois presentes dados pelos pais de Luciano marcaram com grande emoção o músico. Trata-se de dois violões que ele ganhou em momentos distintos e que ele carinhosamente os chama pelo nome dos pais.

O violão “Luiz Santos” é um violão japonês que o pai encomendou em uma loja de instrumentos musicais em Teresina. Na época foi uma cara aquisição, mesmo para a família de um coronel. O Maestro Luiz Santos, entendeu naquele momento que a música não era mera passageira na vida do filho caçula, visto que este já tocava na noite, sendo integrante da banda “Razão de Ser”, uma verdadeira febre nas noites teresinenses no final dos anos 1990, com direito a patrocínio de uma rede de televisão local e gravação de CD.

Violão Luiz Santos: acervo pessoal de Luciano Santos

Já o violão “Adélia” representou para o músico a constatação da mãe de que no seu futuro a música sempre estaria presente. Dona Adélia, já perto dos dias finais da sua jornada terrestre, chamou uma das filhas e disse que queria que Luciano recebesse um violão no aniversário, ela que tinha sido a musa do Maestro Luiz Santos em muitas composições, não tinha dúvidas de que o caçula não iria degenerar e com esse gesto abençoou materialmente a carreira do filho mais novo.

Violão Adélia: acervo pessoal de Luciano Santos

A DESCOBERTA COMO EDUCADOR

Relutante em ser professor, o jovem Luciano Santos enveredou seus sonhos a princípio para a Polícia Militar. Estudou com afinco e chegou a passar no concurso de oficiais, porém uma injustiça tirou-lhe a possibilidade de seguir carreira. Em um segundo momento vislumbrou ser advogado, mas não obteve êxito no vestibular, encerrando a possibilidade da profissão na espera de uma segunda chamada. Isto posto, resolveu cursar Letras-Inglês na Universidade Estadual do Piauí e Educação Artística na Universidade Federal. E eis que em uma aula de Estética e Teoria das Artes (no curso de Ed. Artística) ministrada pelo prof. Paulo Libório, uma revelação se fez envolta em um pranto que até então ele não sabia estar contido. As palavras do prof. Libório despertaram no discente Luciano a certeza que ele desconhecia: tinha nascido para ser um professor! A descoberta foi tão marcante que ele diz ter começado a chorar na sala de aula, tendo que sair para dar vasão as lágrimas.

A escolha da carreira docente, como professor inicialmente de Língua Inglesa e posteriormente de Arte e Música, lhe proporcionou um crescimento pessoal ao ver que ele poderia mostrar outros horizontes a crianças e adolescentes que desconheciam o poder da transformação por meio da arte, e lembra com carinho os elogios espontâneos que seus alunos expressam ao entenderem como essas disciplinas são importantes para uma formação que vai muito além da sala de aula.

Como professor de uma das escolas privadas de ponta da capital e docente da rede pública municipal, Luciano afirma que transita diariamente em dois universos diferentes que se distanciaram ainda mais no período pandêmico. Enquanto em uma todos os esforços foram feitos para que os alunos pudessem continuar tendo acesso à educação de forma ininterrupta por meio de plataformas virtuais e transmissões via internet de alta qualidade, na outra a realidade é que um celular com parcos dados móveis é a única ferramenta de acesso de famílias, por vezes numerosas, a aulas que são disponibilizadas por meio de redes sociais.

“Lecionar na escola particular e na pública me faz sentir um verdadeiro astronauta. É como sair de um planeta ir para outro, porque são duas realidades completamente diferentes”.

A VIDA DE MÚSICO/PRODUTOR CULTURAL

São 34 anos de carreira como músico e 27 como professor. Um dos trabalhos mais recentes de Luciano Santos como produtor é o grupo “Melhor de Três”, grupo formado por João Cláudio Moreno, Soraya Castelo Branco e Flávio Moura. Com João Cláudio já são mais de 20 anos de parceria, Luciano também atua como compositor e diretor musical. Ao longo de uma trajetória bem-sucedida nos palcos coleciona imagens e lembranças ao lado de nomes importantes da música brasileira e piauiense.

Cláudio Luciano Carvalho dos Santos é casado há 21 anos com Shirley Leite dos Santos e pai orgulhoso de Sávio Emanuel (8 anos) e Leandro Gabriel (4 anos).

GALERIA DE FOTOS

Total
4
Shares
1 comentário
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Postagens Relacionadas