Coletivo Caninanas promove oficinas artísticas em 1ª Tenda Virtual

Revisão: Joana Tainá

Projeto com quatro oficinas marca o início das atividades do Coletivo

A Tenda Virtual das Caninanas nasceu da possibilidade de diluir as fronteiras entre o público e artistas. Com foco nas áreas da escuta, desenho, teatro, dança e mídias, as oficinas serão ministradas por Bia Magalhães (Multiartista), Lis Andrade (Artista Visual e atriz), Sâmeli Caires (atriz e publicitária) e Mary Sousa (Bailarina e atriz).

Serão ofertadas ao todo 12 vagas para cada uma das oficinas. Sendo duas delas direcionadas para aqueles que comprovarem não possuir recursos para pagar a taxa de inscrição. As aulas serão ministradas de forma online, por meio da plataforma Google Meet. As inscrições seguem até o dia primeiro (1) de maio e podem ser feitas pelo site, você pode acessar clicando aqui. O valor das inscrições varia entre R$ 25,00 e R$ 35,00 reais a depender da oficina e da duração da atividade escolhida. A participação no projeto não requer experiência prévia.

Produzido e idealizado por mulheres e não-binárie do Coletivo Caninanas, as oficinas visam proporcionar à artistas e não-artistas diversos mecanismos de conhecimento, aprofundamento e network em áreas artísticas específicas. De duas palavras Tupi que significam “vegetação” e “que corre, se espalha”, o Caninanas surgiu da união de um grupo de egressas do curso de teatro da Escola Estadual Gomes Campos. Observando o cenário artístico e as questões de representatividade no meio, o projeto nasce como possibilidade de promoção, organização e mobilização dessas atividades culturais tendo como ponto de partida essas minorias.

“Quando formamos o coletivo procuramos um nome que fosse marcante e relacionado com o que temos em nossa natureza […] Nosso coletivo veio para unir forças nesse momento em prol da arte local, incentivar expressão de artistas e não artistas. O esperado é que cada vez mais possamos ampliar as linguagens desses estudos e criar em conjunto um espaço cada vez maior para dialogarmos.” afirma Lis Andrade, integrante do coletivo.

 

Oficina de Fanzine – Dias 06 e 04/05 – 19h

A oficina busca abrir possibilidades de expressão, criação de diálogos (na relação texto e imagem) e trazer a discussão de ideias sobre criação de conteúdo. Vamos iniciar a oficina falando da história dos zines (social e historicamente) e em seguida realizar algo em conjunto (seja físico ou digital, do individual para o coletivo). Irei trazer minhas experiências pessoais e exemplos das formas que podem tomar e dialogar com a individualidade de cada um presente.

Ministrada por Lis Andrade: Artista das experimentações visuais, urbano e cênicas. Formada em Tec. em Teatro pela Escola Estadual de Teatro Gomes Campos, além do Caninanas, participa dos coletivos Processo Atma Adriara e Papoka Crio.

Oficina de Corpo e Voz – Dias 02 (15h – 18h), 08/05 (17h – 19 h)

O corpo e a voz são dois pilares importantíssimos para quem deseja estar em cena. Diríamos melhor, são elementos fundadores do caminho para a cena. É a partir da consciência e consequente desenvolvimento do corpo-voz que se abrem infinitas possibilidades para uma cena rica e criativa.

Este workshop propõe o conhecimento e consciência das habilidades corporais e vocais que vivem em estado de latência dentro de nós, para que se tornem repertório pessoal para cada um. Para que se tornem tesouros descobertos e apropriados.

Ministrada por Bia Magalhães: Cantora, compositora, atriz, produtora artística e empresária. Formada em moda pela Universidade Federal do Piauí (UFPI) e em Teatro pela Escola de Teatro Gomes Campos. Bia Magalhães já lançou 2 eps e 1 disco com a banda Bia e os Becks. Acumula diversos trabalhos (feats) em parceria com artistas piauienses, como Validuaté, Batuque Elétrico e Nina Omilada. No teatro tem seus estudos voltados ao teatro musical, segmento em que desenvolveu diversos espetáculos na cidade, como Ardor amor e Batalha do Jenipapo o Musical.

Oficina de Mídias Sociais para Artistas – Dias 07/05 (19h) e 09/05 (15h30)

O workshop proporcionará ao artista o entendimento do porquê do uso das redes sociais para se promover e como fazer isso da maneira correta. Serão dois dias de aulas interativas, associando teoria e prática, buscando incentivar e aprimorar o uso das redes sociais para impulsionar a visibilidade do artista.

Ministrada por Sameli Caires: Atriz formada pela Escola Estadual de Teatro Gomes Campos. Participa do meio artístico há três anos e integra a Escola de Deslumbre de Teatro. Como publicitária produz espetáculos, ações de marketing e merchandising.

Oficina de Street Jazz Intermediário – Dia 08/05 – 19h

A oficina proporcionará ao artista e não artista a livre expressão em sua forma de dançar mesmo seguindo uma logística pré-determinada, dizendo adeus as inibições e dando boas-vindas a novas expressões e possibilidades.

Ministrada por Mary Sousa: Formada em dança pelo Balé da Cidade e em Teatro pela Escola Estadual de Teatro Gomes Campos. Atua como professora de dança, coreógrafa, bailarina e atriz. Participou de festivais de dança em diversos estados, como Piauí, Ceará e São Paulo. Já conquistou o título de Bailarina Revelação em Teresina, além de coreografar em diversas escolas e grupos de dança pela capital.

 

Saiba mais sobre as oficinas e o coletivo Caninanas:

Instagram: https://www.instagram.com/coletivocaninanas/

Inscrições: https://forms.gle/HWnD66vhsCMbo6uTA

Total
2
Shares
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Postagens Relacionadas