17 minutos antes … durante… e depois – Memórias que correm as estradas do Piauí em forma de Teatro

17 minutos antes de você reconta uma brecha na história de três personagens parados ocupando bancos de madeira. Tudo nessa cenografia faz lembrar uma memória. Os três personagens são: um rádio de pilha posicionado centralmente, mas atrás dos outros dois personagens, e os demais são um homem e uma mulher, velhos, talvez? Sozinhos? Acostumados com o cotidiano que insiste em se repetir. Uma caixa com outras muitas caixas de remédios dentro, e a procura por aquela caixa perdida, que, por alguma razão, sempre é encontrada e sempre desaparece.

Proposto, inicialmente, por Eraldo Maia, ator e dramaturgo piauiense, o espetáculo partia da ideia de se trabalhar a partir das poéticas de desencontro e da solidão como motes criativos e de investigação, e temos essa sensação à medida que o espetáculo acontece, quando surge flutuando a questão de se estes personagens estariam habitando o mesmo ambiente, pois há também uma sensação de incomunicabilidade.

Os atores Vitorino Rodrigues e Júnior Marks foram instigados a pensarem a partir desses referenciais de desencontro, solidão e silêncio. Um texto que, a princípio, foi escrito de forma individual e depois foi montado como um mosaico; muito é pensado também sobre uma dramaturgia corporal enquanto narrativa, é no corpo onde o silêncio também se expressa.

Foto: Leandro Soares

No enredo, vemos a peleja do Senhor que busca por entre as caixas aquela que seria a do remédio adequado para aquele momento, é que o dia é permeado por essas substâncias para sustentar uma certa qualidade na vida e no corpo deste homem. Por outro lado, uma mulher, Senhora, também que é acordada rotineiramente e aparentemente enxerga melhor que o seu companheiro, é que ele a acorda sempre para perguntar se aquela caixa que ele tem em mãos é de fato a caixa procurada.

E, por fim, um rádio que se torna o objeto de atenção da senhora imediatamente após ser acordada, isso porque é pelo rádio que vai se ouvir mais um capítulo de alguma novela da época e algum segredo de Cândida Jéssica será revelado.

 O rádio tem dificuldades com a sintonia e precisa sempre de um calço; por vezes, a Senhora cogita usar um crucifixo como suporte, mas por achar algo melhor sempre muda de ideia, usando finalmente a caixa, aquela de remédios, que não estava perdida, apenas servindo a uma outra utilidade que, naquela altura de vida, era igualmente importante.

Fotos: Leandro Soares

O espetáculo propõe de uma forma leve e fácil de assimilar umas nuances que dizem respeito a todos e todas nós, ou pelo menos a um recorte desta sociedade interiorana que tem registro dos seus velhos e velhas na memória ou se vejam representados nestes personagens.

Não é um espetáculo sobre abandono apesar de uma camada sutil de solidão permear o espetáculo, tanto entre eles como sobre eles, cada um tem um interesse especial, seja por remédios ou seja por uma história contada na rádio.

Mas há, sobretudo, um ambiente que suscita na gente memórias e algumas perguntas que surgem por causa dessa nossa (minha) necessidade de entender mais das coisas, por exemplo: Eles tiveram filhos? Onde eles moram agora? Eles estão sozinhos? Eles ainda estão aqui ou só estão revivendo alguma memória? As vezes, o Teatro é isso também, é evocar imagens dos que já não acontecem mais por aqui nos fazendo acreditar que eles ainda acontecem.

E há, também, uma sensação de cotidiano que se repete em gestos e falas, mas que muda de lugar no palco; a repetição reforça um imaginário que é construído no início da peça, o imaginário de que aquele remédio precisa ser encontrado de que aquele rádio precisa funcionar e de que este senhor e esta senhora precisam dormir para reviver as angústias e os desejos no dia seguinte.

Fotos: Leandro Soares

17 minutos antes de você é um espetáculo produzido pela Truá Companhia de Teatro e foi premiado pelo edital do Sistema de Incentivo Estadual à Cultura do Estado do Piauí  (SIEC). Edital este que garantiu de acordo com Vitorino Rodrigues uma experiência especial enquanto ator, pois proporcionou uma vivência enquanto artista menos responsável por questões de produção e de grandes logísticas, dinâmica muito comum ao se falar em produção de teatro independente no Piauí, e permitiu que os atores pudessem fruir mais da experiência e da concentração em seu fazer artístico. E isto é algo muito importante. Por ter sido contemplado pelo edital, o espetáculo percorreu as cidades de Santa Cruz dos Milagres, Bom Jesus, Currais, Amarante, Capim Puba e Elesbão Veloso.

Para Júnior Marks, ator do espetáculo, a possibilidade de circular com este trabalho nessas cidades foi e é significativa, pois possibilita a experimentação e fruição de teatro para um público que, talvez, tenha pouca intimidade com espetáculos teatrais.

No dia 23 de abril, o espetáculo encerra em Teresina esta temporada que se firmou por cima das estradas do estado do Piauí, provocando identificações e reavivando memórias que dialogavam com noções da ancestralidade e de figuras tão nossas e tão a gente. Este, talvez, seja o meio pelo qual a experiência teatral se configura: fazer a gente lembrar, fazer a gente se identificar e fazer a gente reviver.

 

FICHA TÉCNICA 17 MINUTOS ANTES DE VOCÊ

 

ESPETÁCULO: 17 MINUTOS ANTES DE VOCÊ

MONTAGEM: TRUÁ CIA DE ESPETÁCULOS

DIREÇÃO: ERALDO MAIA / ELIELSON PACHECO

DRAMATURGIA: ERALDO MAIA, JÚNIOR MARKS, VITORINO RODRIGUES

ATUAÇÃO: VITORINO RODRIGUES E JÚNIOR MARKS

ILUMINADOR: BRUNO ELSENN

OPERAÇÃO DE LUZ: LEANDRO SOARES

SONOPLASTIA: ERALDO MAIA, JÚNIOR MARKS, VITORINO RODRIGUES

OPERAÇÃO DE SOM: IARLA RIBEIRO

Total
0
Shares
1 comentário
  1. Quero aqui deixar minha gratidão ao Juninho e ao Vi por, apesar de todos os senões que enfrentamos em tempos tão difíceis para as artes e seus artesãos, ainda manterem de pé o trabalho que construímos com tanto carinho.
    E parabenizar o autor da matéria. Bem-vinda seja a crítica, que nos ajuda a refletir e divulgar o trabalho artístico.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Postagens Relacionadas