serenata aos iludidos, Diego Mendes Sousa

Amor não me deixa sofrer
Existem dias
que o coração
se parte
se deprime
se afoga
e dói até na alma
que se aperta
que se lastima
que se destrói
e depois do canto
nada mais resta
nem a força do encanto
que a vida explica
que o sonho baila
que o tempo mata
Amor não me deixa azul
que a pele sai a suar
que a boca inicia o soar
da canção dos pequenos
desventurados
Amor não me deixa morrer

Livros:

Divagações (2006);

Metafísica do Encanto (2008); 

50 Poemas Escolhidos pelo Autor (2010); 

Fogo de Alabastro (2011); 

Candelabro de Álamo (2012); 

O Viajor de Altaíba (2013); 

Alma Litorânea (2014); 

Gravidade das Xananas (2015);

Tinteiros da Casa e do Coração Desertos (2015); 

Coração Costeiro (2016); 

Fanais dos Verdes Luzeiros (2017;

Rosa Numinosa (2018).

Total
0
Shares
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Postagens Relacionadas