Depois do plano vem a ação, por Alisson Carvalho

Definidas as prioridades, estabelecidos os métodos de atuação, passamos para a tão valorizada ação. Afinal, de nada adianta só projetar se todas as ideias não saírem do papel, se não forem materializadas e aplicadas.

Agir e aplicar recursos sem uma estratégia é gastar energia e explorar caminhos de maneira irresponsável, ignorando uma literatura que se tem construída sobre  os caminhos mais eficientes para se atingir os objetivos.

Por isso, a ação deve ser precedida pelo planejamento que obviamente contém um estudo holístico do universo no qual a tal ação está inserida, ou seja, avaliar o cenário para entender onde estamos pisando. Essa avaliação necessita de investimento de tempo com pesquisas que poderão girar desde documentos produzidos (em diversos suportes físicos: jornais, artigos, pesquisas e revistas ou mesmo com pesquisas da memória oral, com pessoas que aprenderam na base da empiria). Considera-se todas as possibilidades, quais os recursos disponíveis e as soluções para os eventuais problemas.

É nesse ponto que construímos as estratégias e simulamos os riscos, inclusive quais serão as etapas e como ocorrerá a ação na prática, pois é importante saber como será a implementação de cada uma das ações a serem desenvolvidas.

Saber improvisar pode ser positivo, mas no decorrer do processo será a forma como organizamos as ações que fará toda a diferença, afinal organizar é estruturar e dividir funções, quanto mais desorganizado mais sobrecarregados ficam os atores sociais. Isso significa que uma boa organização deve dar condições para que as partes ajam sozinhas, sejam autossuficientes, pois quanto menos autônomas e mais dependentes as partes são, mais sobrecarregado ficará o seu organizador, ou líder.

  • O planejamento estratégico em sua elaboração possui três dimensões operacionais: o delineamento, a elaboração e a implementação. O delineamento compreende a estrutura metodológica do processo, bem como o profissional que irá auxiliar na elaboração, podendo ser um consultor ou um executivo da empresa. A elaboração fica com a obrigação de identificar as oportunidades e as ameaças do ambiente, avaliar os pontos fortes e fracos e sua capacidade de retirar vantagens das oportunidades, explicitar os objetivos e as metas a serem alcançadas e também desenvolver maneiras para realização das estratégias. Enquanto que a implementação envolverá os assuntos organizacionais, o sistema de informação, orçamentário, sistemas de incentivos, o treinamento e liderança necessária para desenvolver o processo e colocá-lo em prática. Oliveira (2009, p.39)

A ação não é obra do acaso, tampouco improvisação.

Agir é aplicar tudo que foi previamente estruturado. Mesmo quando há uma performance dialogada é importante explorar o melhor das partes, dessa forma as secções ajudam a dividir as responsabilidades.

Agir pode ser confundido com executar, colocar a mão na massa, sair da cadeira, transformar as ideias em eventos localizados temporalmente e geograficamente, sim, parcialmente agir é também fazer o trabalho braçal, mas é seguir a estratégia para criar um manual para as próximas gerações. Não adianta aplicar se não existir um registro dos passos dados, afinal uma das formas de avalizar a eficácia da ação é replicando e reproduzindo diversas vezes inclusive em outras realidades.

Por Alisson Carvalho

0 Shares:
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You May Also Like
Leia mais

Receita de Bomba

A bomba é um salgado tipicamente teresinense. Ele surgiu quando a dona Marlene Ferreira, sua criadora, resolveu empanar e…
Leia mais

Receita de Cajuína

Cajuína é uma bebida não alcoólica, feita do suco clarificado e cozido do caju. A clarificação se dava…