A ousadia nas poesias de Nayara Fernandes

A escritora Nayara Fernandes, natural de Teresina, é estudante de Jornalismo na Universidade Federal do Piauí (UFPI) e autora do livro “Asas de pedra” (Selo Edith, 2017). Além disso, é escritora nos sites “Eu tenho asas de pedra” e “Liberoamérica”. Seus poemas impactantes e inspiradores já foram publicados em diversas revistas literárias, como “Alagunas”, “Mallarmargens”, “Acrobata”, “Germina”, “Diversos Afins”, “Escritoras Suicidas” e “The São Paulo Times”. Ela também tem poesias nos sites “LiteraturaBR” e “Livre Opinião – ideias em debate”. A autora já participou da coletânea “Quebras – uma viagem literária pelo Brasil” (Selo Edith, 2015). “Ousada, sistemática e inquieta. Sou pedra, asa e poesia”, crava Nayara Fernandes.

Foto: Sorailky Lopes

“A literatura é livre.” Nayara Fernandes

Nome Completo: Nayara Fernandes Neves

Descrição: Escritora

Data de Nascimento: 02/09/1988

Local de Nascimento: Teresina-PI

Entrevistada por: Lourrane Silva
Escrito por:
 Alisson Carvalho
Revisado por: Paulo Narley

Foto: José Ailson Nascimento

A escrita diária

Nayara Fernandes começou a se afeiçoar à escrita através da diversão. A escritora frisa o quanto foi importante a influência da irmã nesse processo de educação, pois foi graças às brincadeiras propostas por ela que Nayara começou a ser alfabetizada antes mesmo do seu ingresso na escola. Portanto, a maior responsável pela sua alfabetização foi, na verdade, sua irmã, que chamava as colegas para, juntas, brincarem de escolinha. Com isso, Nayara foi aprendendo as primeiras palavras. “Quando eu realmente fui estudar, eu já sabia escrever meu nome e os conhecimentos básicos, então, não tive tanta dificuldade”, comenta. A partir disso, Nayara passou a brincar com a escrita, foi crescendo e se aprofundando nos estudos da língua, sempre atrelados às experimentações. Escrever, para ela, sempre foi uma atividade costumeira, por isso mesmo ela sempre manteve o hábito de ter diários.

Criando vínculos com escritores

Nayara Fernandes começou a sua carreira como escritora de forma inusitada, pois foi a partir das redes sociais que ela começou a entrar em contato com o universo dos escritores. Foi dessa forma que ela começou a conversar com um editor de livros, que pediu para ler seus textos. Inicialmente, a intenção de Nayara era apenas receber um feedback de alguém especializado na edição de livros, saber se, de fato, ela estava no caminho certo. A resposta que recebeu não poderia ser outra: o editor gostou do material enviado e convidou Nayara para publicar o seu primeiro livro. Contudo, os seus caminhos foram ganhando novas possibilidades quando ela resolveu participar de uma oficina de criação literária que tinha como objetivo descobrir escritores de regiões fora do eixo Rio-São Paulo. Foi lá que Nayara conheceu Marcelino Freire e Thiago E., além de poder mostrar o seu trabalho literário. Na oficina, a escritora pôde mostrar o seu trabalho para outros escritores e mudou o rumo dos seus planos. Inicialmente, ela pretendia publicar uma obra de prosa, porém, terminou por publicar sua obra de poesias, que recebeu o nome da poesia apresentada na oficina: Asas de Pedra. “Ao final da oficina, o Marcelino Freire me chamou e disse que queria que eu lançasse o meu primeiro livro pelo selo dele, Edith, pois disse que eu era uma poeta”, pontua Nayara.

Foto: André Ibiapina

A paixão pela literatura e o jornalismo

A escritora e estudante de jornalismo conta que não imaginava que seguiria pelo caminho da poesia, mas que quando decidiu tracejar seu jeito de traduzir a poesia batalhou até conseguir escrever a sua obra poética que foi lançada durante o no Salão do Livro do Piauí (SALIPI). Para a escritora, esse lançamento tem muitos significados, já que se deu em um dos eventos literários mais conhecidos do Piauí, no qual tinha representantes de diversos estados. E Nayara não escolheu à toa o curso de Jornalismo, essa vocação vem desde o seu ensino médio, pois como uma apaixonada pela escrita, decidiu que teria como ofício uma profissão cuja escrita fosse um exercício essencial e diário. Sempre obstinada e focada, Nayara Fernandes construiu seus objetos e projetos e criou seu próprio caminho para atingir cada um dos seus sonhos, sempre decidida a concretizá-los. “Eu passei para o curso que eu sempre desejei na universidade que eu sempre sonhei.”

“A literatura representa conhecimento. Conhecimento interno, pois querendo ou não a literatura é um espelho daquilo que a gente não diz.” Nayara Fernandes

Foto: José Ailson Nascimento

Um labirinto poético

O tema mais recorrente na literatura de Nayara Fernandes é o ser humano. Para a escritora, abordar o ser é humano é algo complexo, já que cada pessoa tem condensada em si um universo e é justamente por isso que é impossível generalizar as pessoas. Segundo Nayara, existe miríades de sutilezas delicadas que compõem as características dos indivíduos e que ela gosta de tentar extrair essas nuances respeitando as particularidades de cada um. Dessa forma, ela tenta acessar esse mistério que há no ser humano, pois cada um tem algo precioso e que também causa identificação com quem está disposto a superar as diferenças e mergulhar no universo de enigmas do outro. A escrita é uma comunicação que rompe algumas das barreiras impostas e segundo a escritora:

“A poesia tem o poder de se comunicar com os sentimentos do outro. Por isso, o meu maior tema é o ser humano, pois podemos falar de diversos temas e nunca se esgota, nunca se torna repetitivo. A cada novo texto é um olhar diferente, a cada observação é uma descoberta diferente.”

Desconstruindo preconceitos

Para a escritora Nayara Fernandes, o livro foi e é o seu projeto mais relevante, pois foi por meio dele que ela pôde interagir com o meio artístico. As possibilidades adquiridas com a poesia surpreenderam até mesmo a escritora. E ela comenta que antes da obra muitos subestimavam o seu potencial, mas, após a publicação, todos passaram a olhar para ela. “Depois do Asas de Pedra, eu consegui levar a mensagem que eu realmente queria, que é uma pessoa normal, igual a todo mundo, mas que apenas usa uma cadeira de rodas”, frisa Nayara Fernandes. Para a escritora, o “Asas de Pedra” abriu portas e desconstruiu preconceitos. Nayara conta que o seu processo criativo é bem dinâmico, vai para além da leitura e da pesquisa, afinal, ela é uma escritora muito perfeccionista e por isso tem um processo de criação bem demorado.

Foto: Sorailky Lopes

Somos feitos de estações

“A literatura é livre”, pontua Nayara Fernandes. A escritora estreia na literatura com uma obra intensa e ao mesmo tempo delicada. Parafraseando as palavras de Marciléia Ribeiro: “Acredito que, independente do contexto em que o texto está inserido, ler poesia é um ato que começa de dentro para fora – é ressignificar em nós aquilo que habitou o lugar mais profundo de uma alma. Dessa forma, a poética de Nayara Fernandes nos instiga a algo maior do que apenas apreender a simples composição de versos e estrofes, é antes de tudo uma estrutura harmoniosa de palavras que nos permite abrir um pouco mais os olhos e o coração para o que está a nossa frente. É puramente uma questão de sentir o limiar da palavra. A poesia salva!”

Nayara Fernandes consegue condensar em sua poética as diversas estações que compõem as fases sentimentais que passamos, são instantes de voos e quedas que se entrelaçam e nos preenche com esperança, mas sem romantizar o mundo. Ao mesmo tempo, a escritora escreve com maestria a beleza contida nesse universo que é o ser humano. Asas de Pedra é o início de uma jornada que já demonstra a potência da poética tão sensível.

Contatos

Facebook.com/nayarafernandes

Instagram.com/nayanadies

Twitter.com/FernandeNayara

Site: Eu asas de pedra

e Liberoamérica

E-mail: nayarafernandies@gmail.com

Fotos

Obra

Asas de Pedra (2017)

Outras fontes

https://comoeuescrevo.com/nayara-fernandes/

http://100porcentopiaui.com.br/zdestaque/poema-da-semana-o-poema-que-deu-nome-ao-livro-de-nayara-fernandes-asas-de-pedra/

https://www.geleiatotal.com.br/2019/07/26/critica-do-livro-asas-de-pedra-de-nayara-fernandes-por-marcileia-ribeiro/

Última atualização: 29/07/2019

Caso queria sugerir alguma edição ou correção, envie e-mail para geleiatotal@gmail.com.

17 Shares:
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você Pode Gostar
Leia mais

Maria da Inglaterra

Maria Luiza dos Santos Silva, mais conhecida como “Maria da Inglaterra”, nasceu em Luzilândia em 1940. Começou a…
Leia mais

Lais Rosa

Ela é um sucesso nas redes sociais, seus textos ultrapassaram as fronteiras e conquistaram admiradores de todas as…