Companhia de Teatro Shangri-lá, o projeto social de teatro do Dirceu

Criada em 2015, a Companhia de Teatro Shangri-lá, surgiu derivada de um projeto de oficina teatral, envolvendo jovens estudantes do ensino médio de escolas públicas do bairro Dirceu Arcoverde, Teresina- PI, concebida pelo ator e diretor Júnior Ferreira, no intuito de formar uma nova geração de artistas, especialmente no campo do teatro contemporâneo, nas linguagens do teatro físico e dança teatro.

Os trabalhos da Companhia de Teatro Shangri-lá já foram apresentados em escolas públicas da comunidade do bairro Dirceu e como encerramento das atividades e pautas marcadas do Teatro João Paulo II.

O grupo trabalha com técnicas de pesquisas corporais, dança/teatro e teatro físico como foco principal. Dessa forma a companhia está constantemente ocupando os espaços artísticos seja participando de festivais, encontros ou outros eventos artísticos e culturais, seja promovendo o debates e diálogos com o público piauiense e brasileiro.

A companhia completou 4 anos de trabalho e vem desenvolvendo pesquisas artísticas internas, com foto não apenas na pratica corporal, mas também com estudos dos principais teóricos das artes cênicas.

A Companhia de Teatro Shangri-lá já apresentou peças como “Faces de Torquato” (2016), “Solto, Aberto e Vazio” (2017) e “B. Uma tragédia Urbana” (2017/2018) que recentemente esse mesmo trabalho foi aprovado e apresentado no projeto “Vem que é Teatro” da Fundação Municipal Cultural Mosenhor Chaves-FMCM.

Como projeto para 2019 o grupo já está na etapa da montagem do novo espetáculo intitulado “Ruas Vazias: História, luta e superação do Itararé”, no qual explorará a história, cultura e aspectos sociais do  bairro Grande-Dirceu de Teresina  Piauí.

Fotos – Emanuel Victor

A ideia Shangrilá

A ideia inicial do grupo partiu de um projeto desenvolvido pelo professor, ator, diretor e fundador do grupo, Júnior Ferreira, que começou a dar oficinas de teatro pelo projeto Mais Educação. Como ator, Júnior tem diversos trabalhos no currículo desenvolvidos no período que integrou a Cia de Teatro Renascer. Segundo o ator, o objetivo do projeto desenvolvido no bairro Dirceu foi inserir a artes cênicas como alternativa já que se trata de uma região de grande importância para Teresina, mas que carecia de representação nessa área.

Por isso o artista quis desenvolver uma linguagem específica de teatro que tivesse uma relação direta com a própria população local já que ele sentia falta de um grupo desenvolvendo um trabalho mais contínuo na região.

Por isso, Junior Ferreira, trouxe pesquisas multidisciplinares para serem trabalhadas no grupo levando em consideração não apenas a palavra e o texto, tão comumente associados ao teatro, mas valorizando a vivência de cada integrante e as questões socioculturais, bem como os diversos conhecimentos apreendidos ao longo da vida.

Para o grupo, desconstruir o estigma da região é uma missão importante, pois é importante demonstrar que existem problemas sociais, mas que existem outras possibilidades de interações para além da violência. Valorizar a cultura da região, as subjetividades dos morados e toda a complexidade do bairro é dar voz à própria comunidade e apresentar o teatro como um espaço de sociabilidades, de construção e trocas de saberes.

Integrantes

Fotos – Emanuel Victor

Nome artístico:  Júnior Ferreira

Data de Nascimento: 22/01/1986

Local de Nascimento: Barras PI.

Contatos:

Facebook.com/junior.junior

Instagram.com/cljunior

 

Mestrando em Sociologia, pela Universidade Federal do Ceará-UFC, Graduação em Licenciatura Plena em Ciências Sociais pela Universidade Estadual do Piauí UESPI, (2017), Pós Graduação em Metodologia do Ensino de Artes- UNINTER-PR (2017), Pós Graduação em Docência do Ensino Superior pela Universidade Estadual do Piauí -UESPI (2014) , Graduação em Comunicação Social pela a Associação de Ensino Superior do Piauí-AESPI (2012),Com experiência na área de docência no ensino básico nas áreas de Sociologia e Artes.

            Direção e criação

  • Uma tragédia Urbana;
  • Ruas Vazias;
  • A comunidade do arco-íris
  • Solto, Aberto e Vazio;
  • Faces de Torquato;
  • Nós queremos casar papai;
  • Redes;
  • Sinapse;

Ator

  • Próximo Ato;
  • Espiral
  • Leitura dramática: Nossa Vida não vale um Chevrolet
  • Das coisas e dos corpos
  • Livros, Bananas e Cigarros
  • Dançando Vênus, Eros e outros Mitos
  • Relações
  • Proletarium
  • Secante
  • A Fada dos sonhos – O Despertar de Érika
  • – Uma tragédia urbana
  • Senhora dos afogados
  • Medeia

 

Fotos – Emanuel Victor

Nome artístico: Erick Som

Data de Nascimento: 18/12/2001

Local de Nascimento: Teresina – Piauí

Contatos:

Instagram.com/erick.som

Youtube.com/channel/UCjjq3wmjEM4Iis2YeyGdS3g

E-mail: ericksommc@gmail.com

 

Fotos – Emanuel Victor

“O teatro abriu a minha visão não somente para a sociedade, mas para a própria arte. Eu me descobri dentro do teatro e ele me descobriu. Eu expandi minha visão de mundo entrando em contato com teorias e outras visões” Milena Araújo

 

Nome artístico: Millena Araújo

Data de Nascimento: 23/03/2002

Local de Nascimento: Teresina – PI

Contatos: telefone 995709452

Facebook.com/millena.araujo

Instagram.com/mllenarauj0

Email: millena6god@gmail.com

 

Fotos – Emanuel Victor

Nome artístico: Honey                                                                                    

Data de Nascimento: 06/05/1999

Local de Nascimento: The – Pi

Contatos

Facebook.com/higo.mateus.3

Instagram.com/higomateuss/?hl=pt-br

E-mail higomateusb@gmail.com

 

Fotos – Emanuel Victor

“O teatro não é aquela magia, no primeiro dia de teste eu já percebi isso, é trabalho. Uma das coisas que o teatro mais me proporcionou foi a noção espacial. Não só com as coisas e objetos, mas as pessoas também.” Ariane Martins

 

Nome artístico: Ariane Martins

Data de Nascimento: 15/03/1999

Local de Nascimento: Teresina- Pi

Contatos:

Instagram.com/arrrriene

E-mail: aribdm13@outlook.com

 

Fotos – Emanuel Victor

“Quando entrei no teatro eu não sabia de nada, eu achava que o teatro era só decorar um texto, mas depois percebi que era mais estudo e isso me ajudou até melhorar meu rendimento na vida escolar. O teatro modificou a maneira de ver o mundo pessoal e profissional.” Tales Araújo

Nome artístico: Tales Araújo

Nome Completo: Tales Sousa Vaz De Araújo

Data de Nascimento: 10/07/2000

Local de Nascimento: Piaui-Teresina

Contatos:

Instagram.com/tales.arj

E-mail: rd.tales2015@gmail.com

Foto – Fábio Queiroz

“Eu nunca pensei que ficaria no teatro porque eu já tinha feito de tudo um pouco. Dança contemporânea, capoeira, tudo ficava chato e o que me deixou mais motivada a ficar foi poder fazer tudo que eu gostava estar num lugar só. E o teatro é como uma família.” Amanda Magalhães

Nome artístico: Amanda Magalhães

Data de Nascimento: 04/06/2000

Local de Nascimento: Teresina- Piauí

Contatos:

Instagram.com/_amandarauj0

E-mail: srtamandaaraujo@gmail.com

 

Nome artístico: Alisson Veloso

Data de Nascimento: 26/08/1999

Local de Nascimento: Teresina

Contatos:

Instagram.com/alisson_vel

E-mail: alissonvelosonunes@gmail.com

 

Fotos – Emanuel Victor

Nome artístico : Nylton Vidal                                                                                           

Data de Nascimento : 25/03/1999

Local de Nascimento : Teresina PI

Contatos :

Instagram.com/_nescretinoo

E-mail: niltonvidal10@gmail.com

 

Fotos – Emanuel Victor

Nome artístico: Transtorno

Data de nascimento: 26/02/2000

Local de nascimento: Teresina – PI

Contatos

Instagram.com/otranstorno

E-mail: victoroliveira_ofc@hotmail.com

Youtube.com/channel/UC8LrnC0ZjHeb-3RlnkqLMdA

Fotos – Emanuel Victor

“Foi uma coincidência, o Júnior estava pensando em criar um grupo de teatro e e nós também queríamos montar um grupo, ficamos assustados com a coincidência. Assim montamos o grupo no final de 2014 e o teatro mudou a minha vida.” Luís Gonzaga

Nome artístico: Luis Gonzaga

Data de nascimento: 03/03/1998

Local de nascimento: Teresina – PI

Fotos – Emanuel Victor

O projeto do Dirceu

Segundo o grupo, desenvolver um trabalho na periferia de Teresina é um ato de resistência, principalmente porque além do preconceito relacionado geográfico sofrido pelos moradores ainda há um descredito na arte desenvolvida na região.

O grupo sempre tentou apresentar questões sociais nas suas peças, em “B. – Uma tragédia urbana” o grupo abordou a história de um jovem que viviam em situação de vulnerabilidade social fatalizado por problemas familiares e com uma vida marcada de violências.

O grupo mantem um processo de criação aliado ao método de criação de personagem de stanislavskiano que serve como um guia. Além disso, esse engajamento social com a região legou a Companhia de Teatro Shangri-lá desenvolver uma pesquisa sobre a história do próprio bairro justamente para apresentar o Dirceu a quem não o conhece. O grupo se encontra no Teatro João Paulo II, localizado na av. Joaquim Nelson, local de profundo significado tanto por ser o primeiro teatro da região quando por ser o lugar que permitiu o surgimento e as reuniões do coletivo.

Contatos

(86) 9 9424-3175/ 9 9930-8131

Instagram.com/shangriladeteatro

E-mail: cjunior_01@hotmail.com

Fotos

Espetáculos

  • Uma tragédia Urbana;
  • Ruas Vazias;
  • A comunidade do arco-íris
  • Solto, Aberto e Vazio;
  • Faces de Torquato;
  • Nós queremos casar papai;
  • Redes.

Última atualização: 13/08/2019

 

Caso queria sugerir alguma edição ou correção, envie e-mail para geleiatotal@gmail.com.

62 Shares:
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You May Also Like